domingo, 26 de julho de 2009

Até logo.

Image Hosted by ImageShack.us

tax.

Barulho da Semana #47


Portugal. The Man - The Satanic Satanist [2009]

Género: Pop/Rock
Origem: E.U.A.
Parecido com: Minus the Bear
Faixas em destaque: People Say, The Sun, The Home, Do You

Myspace

Crítica ao álbum

sábado, 25 de julho de 2009

Gostei. Não enveredaram pelo caminho fácil.



Álbum novo a 25 de Agosto.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Falta pouco para a carreira a solo deste senhor

A dança é estupida, mas a música é boa.



"This is a gift, it comes with a price
Who is the lamb and who is the knife?
Midas is king and he holds me so tight
And turns me to gold in the sunlight"

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Gang Gang Dance - o futuro hoje


Se o Avant-garde actualmente tem um nome, muito provavelmente deverá ser Gang Gang Dance. São um grupo nova iorquino de música experimental, com influências que vão do dubstep ao post-rock, não sendo possível, de todo, catalogar a sua música. Há quem diga que eles fazem música para 2070, eu cá acho que esta música faz já todo o sentido nos dias de hoje, basta dedicar um pouco de atenção à coisa.
Liderados pela vocalista Lizzi Bougatsos, esta banda vai já com 4 álbuns editados e mais uma data de Eps, mas foi com o último álbum Saint Dymphna que os conheci no inicio deste ano, álbum que recebeu boas críticas por parte da imprensa musical no ano passado. É um álbum marcadamente pop, mas com as respectivas miscelânea de estilos musicais que fazem destes artistas únicos no actual universo musical.
Tendo já feito primeiras partes de concertos de Sonic Youth e Animal Collective, a banda prepara-se agora para se afirmar definitivamente no actual panorama musical, estando presentes em alguns dos festivais de topo.
Algumas amostras:


quarta-feira, 22 de julho de 2009

Entrevista a um génio

Omar Rodriguez-López é exposto nesta entrevista a perguntas relativas ao último álbum dos Mars Volta, bem como a outras de carácter íntimo. A ver.


Mercury Prize 2009: os nomeados


Bat For Lashes - Two Suns
Florence And The Machine - Lungs
Friendly Fires - Friendly Fires
Glasvegas - Glasvegas
The Horrors - Primary Colours
La Roux - La Roux
Led Bib - Sensible Shoes
The Invisible - The Invisible
Lisa Hannigan - Sea Saw
Kasabian - West Ryder Pauper Lunatic Asylum
Speech Debelle - Speech Therapy
Sweet Billy Pilgrim - Twice Born Men

O meu favorito é Bat For Lashes, e apesar de não o considerar brilhante, é aquele que de facto mais me agradou. Os mesmos foram nomeados para estes prémios em 2007.
É certo de que não ouvi mais de metade do que está nessa lista, mas a verdade é que não vi o nome de grande parte deles em lado nenhum. Podem ser uma futura descoberta.
Até agora considero esta lista, unicamente constituída por artistas do Reino Unido ou Irlanda, um tanto ao quanto fraquinha. Pete Doherty e Micachu creio que deveriam ter aparecido nesta lista.
O vencedor será conhecido a 8 de Setembro.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Kings of Convenience, novo álbum

O terceiro álbum dos nórdicos Kings of Convenience tem lançamento previsto para 2 de Outubro deste ano e já tem um single de apresentação. Trata-se de "Mrs. Cold" e tem sido tocada na radio (suponho que no nosso país não) e também num concerto que deram no ano passado em Seoul, assim como grande parte das faixas integrantes do novo álbum foram tocadas no mesmo. "Mrs. Cold" é a continuação do registo folk-pop que têm vindo a fazer, sendo que não me parece uma faixa "mais do mesmo", tendo alguns apontamentos interessantes.
É curioso ver como num país tão frio e sombrio, como é o caso da Noruega, uma banda se deixa seduzir por ritmos provenientes do Brasil. Eles não conseguiram esconder o seu fraquinho por Tom Jobim nos concertos que deram o ano passado cá em Portugal.



Ver aqui o concerto na qual tocaram bastantes das músicas a ser incluídas no novo álbum.
Agora resta esperar se nos irá calhar uma data na nova tournée a arrancar em Outubro próximo.

domingo, 19 de julho de 2009

Barulho da Semana #46


Oneida - Rated O [2009]

Género: Post-Rock/Experimental/Psychedelic
Origem: E.U.A.
Parecido com: Liars, Comets on Fire, Acid Mothers Temple & The Melting Paraiso U.F.O.
Faixas em destaque: What's Up Jackal?, The Human Factor, The Life You Preferred, Ghost in the Room, O

Myspace

Crítica ao álbum

sábado, 18 de julho de 2009

É pah, olhem-me esta voz!



É impossível ficar indiferente.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Festival Marés Vivas, 16/07/09

O festival de verão lowcost, Marés Vivas, é já um festival de peso no nosso país. Dez anos após a sua primeira edição, o Festival Marés Vivas leva milhares de portugueses até Gaia, onde uma belíssima paisagem sobre o rio Douro faz deste um prazeroso festival urbano.
O dia de hoje estava marcado pela presença dos Kaiser Chiefs, banda que tem consigo coleccionar uma boa legião de fãs após a sua óptima actuação no Rock in Rio do ano passado. Com uma assistência divulgada de 18.000 pessoas, a média de idades certamente deveria rondar os 16 anos, muito por culpa do cabeça de cartaz. Num mundo perfeito os festivais nunca deveriam ter gente com menos de 16 anos lá dentro(e se já não é pedir muito, 18 anos).


O festival começou no palco secundário pelas 19:00 com os portugueses John is Gone. Dotados do seu rock anos 80, lá tentaram convencer o pouco público lá existente e com alguns resultados. O público jovem demonstrou algum entusiasmo, contudo, na minha humilde opinião, são banda de um só cd, pelo que os seus 15 minutos de fama já se foram aquando da vitória do Rock Rendez Worten.
Os Sizo, uma banda de pós punk que tem dado cartas no nosso país, fez um concerto competente, apresentando algumas músicas do seu novo álbum. Creio que poderão dar um bom concerto em Paredes de Coura, palco esse que será uma prova de fogo para os mesmos.
Nota negativa para os putos que estavam a fazer uns espécie de mosh pit, cujas idades deviam rondar os 13 anos.


Lamb foram a banda de abertura do palco principal, e devem ser aqueles que menos público trouxeram a este festival. Insistentemente repetindo que não estavam cá há 5 anos e o constante pedir de palmas, não ajudou em nada a uma actuação fraca e morta. Lou Rhodes parecia completamente fora do espectáculo, permanecendo estática na sua posição no centro do palco, sendo que a sua belíssima voz é mal aproveitada no meio daquelas electrónicas todas em sons de Drum and Bass, Trip Hop e Breakbeat. É como pegar numa diva do folk e meterem uma base de Drum and Bass de fundo a ver se resulta bem. O que de facto não resulta.
Basicamente este concerto pode-se resumir a "Gabriel", que foi logo a terceira escolhida do alinhamento e a uma despedida com encore feito a pedido dos próprios Lamb (é favor não rir).


Primal Scream, cabeça de cartaz do ano passado do Festival de Paredes de Coura, ficaram a "pescoço" neste cartaz, sendo que num cartaz em condições nunca na vida punham uma banda deste calibre a abrir para uma simples e banal banda de brit pop. Mas como o festival foi feito para os Kaiser Chiefs e como quase ninguém da plateia deveria conhecer Primal Scream, deverá ter sido o caminho mais sensato.
O concerto de ontem penso que foi melhor conseguido que o do ano passado, sendo que o alinhamento foi semelhante, fazendo a habitual passagem pelo XTRMNTR, álbum marcado por sonoridades trance; Screamadelica, "o álbum" da banda, que ganhou um Mercury Prize em 1992; Riot City Blues, onde o blues é rei e senhor e o último álbum Beautiful Future.
"Kill all Hippies", "Damaged" e a finalizar "Swastica Eyes" foram as canções da noite, sendo que as mesmas poderiam ter tido um melhor efeito com um público conhecedor da sua obra. Foi uma pouca vergonha aquilo que se passou aquando da "Damage", quando os putos decidiram todos falar ao mesmo tempo que a música, tornando difícil a audição em condições da mesma.


Aos Kaiser Chiefs coube a missão de encerrar o palco principal, eles que foram os responsáveis pelas 18000 pessoas que foram até ao festival (uma dúzia estava para ver Primal Scream).
Confesso que sempre tive curiosidade para ver estes tipos de perto, para verificar aquilo que dizem ser os concertos deles. E assim sendo, eles não desiludiram.
Apoiados na sua pop orelhuda e no animal de palco Ricky Wilson, fazem um brit pop que contagia qualquer pessoa. Com apenas 3 álbuns são já a referência top de bandas inglesas e têm já bastantes fãs em Portugal, grande parte deles conquistados no pós Rock in Rio.
Na noite de ontem tocaram os clássicos do costume "Everyday I Love You Less and Less", "I Predict a Riot", "Modern Way"e "Ruby", bem como bastantes músicas do seu último álbum Off with Their Heads, que resulta muito bem ao vivo. "Never Miss a Beat" é disso exemplo.
Concerto animado, com Ricky Wilson a trepar em tudo quanto é poste, com todo o público empenhado em mostrar o seu carinho por estes ingleses.
Já não são uma banda que me faça fazer louvores (longe disso), mas pode-se dizer que foi um concerto bem passado.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

De volta ao Ed Sullivan Theater


"Get Back"/"Sing The Changes"

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Isto mais parece Tony Carreira com as suas meninas do coro, já dizia um amigo meu



Mando Diao no festival Rock am Ring 2009.



Só de pensar que eles já foram assim...



Mando Diao no festival Rock am Ring 2005.

Para quando os The Strokes inteiros??

Que chatice...

- Julian Casablancas a solo;
- Albert Hammond Jr. com banda homónima;
- Fabrizio Moretti nos Little Joy;
- Nikolai Fraiture com Nickle Eye.

Eu pensava que estes "aumentar de egos" aconteciam mais tarde... Após 3 grandes álbuns já se foram estragar.

Clip com um preview do álbum do Casablancas (a sair no Outono):

Country Girl

ImageHost.org

Country girl take my hand
Lead me through this diseased land
I am tired I am weak i am worn
I have stole I have sinned
Oh my soul is unclean
Country girl got to keep on keeping on


Primal Scream - Country Girl

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Enquanto o senhor Beck anda ocupado a fazer versões fraquinhas do álbum da banana dos Velvet Underground...

...este saiu-se também com uma versão acústica de "Orphans", música incluída no seu último álbum, bem agradável.


domingo, 12 de julho de 2009

Barulho da Semana #45


Crystal Antlers -Tentacles [2009]

Género: Progressive Rock/Psychedelic
Origem: E.U.A.
Parecido com: Wavves, No Age, Ponytail
Faixas em destaque: Painless Sleep, Dust, Andrew, Tentacles

myspace

crítica ao álbum

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Eles são os Smix Smox Smux

Smix Smox Smux, banda bracarense constituída por Filipe Palas, José Figueiredo e Miguel Macieira são a lufada de ar fresco que a música portuguesa precisava. Com o 1º álbum, Eles são os Smix Smox Smux, conseguem quebrar barreiras do politicamente correcto e lançar uma obra ímpar em Portugal.
Isto é rock liberto de preconceitos e dogmas instituídos, fazendo apenas música para divertir as pessoas, sem que ao mesmo tempo não deixem de tocar em alguns assuntos relevantes na nossa sociedade.
Numa altura em que o rock já há muito deixou de ser o que era, os SSS vêm defender as suas cores e mostrar que talvez ainda se consigam fazer coisas bem interessantes dentro do rock mais convencional. São um pouco ao exemplo de uns Black Lips, que estão a fazer das suas pelos E.U.A..

A abrir o álbum temos "Uísqui", uma portentosa faixa rock, onde o lema "Sexo, drogas e rock 'n' roll" está mais do que presente. As seguintes duas faixas "Cara de Pau" e "Toque Polifónicos", esta última o primeiro single, fazem o uso, que se torna viciante, da voz em falsete, aquela que deve ser talvez a jóia da coroa dos SSS e que está presente ao longo do álbum.
"Animal Vegetal", talvez a melhor faixa do álbum é uma sátira à actual sociedade sedentária "Vou ficar como um animal a vegetar". "Maçã" é um nonsense de muito bom gosto, onde se conseguem ouvir alguns ecos de Sonic Youth.
Depois do apelo da droga em "Malinha" seguem-se "Aquecimento Global" onde entoam em coro feliz "Finalmente há praia em Braga!". "Famel Zundapp", uma homenagem merecida à velhinha Zundapp e para finalizar "Anos 80", onde o imaginário dos oitentas de Variações e afins é revisitado, com o tom satírico que é característico dos SSS.

Apesar do tiro ao lado em "Luz Luminosa" e uma outra música menos conseguida, este primeiro álbum é uma belíssimo cartão de apresentação dos SSS. Contudo, e para se perceber melhor o culto nestes rapazes, é preciso ver um concerto deles ao vivo onde eles, realmente, se transformam por completo.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Revolução no ar

Está previsto, ainda para este ano (Outubro, em princípio), a edição do novo álbum dos franceses Air, Love 2. É já o 6º álbum de originais, que depois dos aclamados Talkie Walkie e Moon Safari e o não tão conseguido último álbum Pocket Symphony, voltam ao estúdio para pôr novamente o seu nome nos escaparates nesse mundo fora.
Existe já uma pequena amostra "Do The Joy", disponível para download gratuito, onde se nota uma ligeira mudança na sua sonoridade, não dando continuação, e bem, à linhagem suave e angelical que os levou à fama, apostando numa toada mais agressiva. Assim espero que a mudança se concretize e preserve os Air por muitos e bons anos.

Alinhamento:
01 "Do The Joy"
02 "Love"
03 "So Light Is Her Footfall"
04 "Be A Bee"
05 "Missing The Light Of The Day"
06 "Tropical Disease"
07 "Heaven's Light"
08 "Night Hunter"
09 "Sing Sang Sung"
10 "Eat My Beat"
11 "You Can Tell It To Everybody"
12 "African Velvet"


domingo, 5 de julho de 2009

Barulho da Semana #44


Sunset Rubdown -Dragonslayer [2009]

Género: Pop/Rock/Experimental
Origem: Canadá
Parecido com: Arcade Fire, David Bowie
Faixas em destaque: Idiot Heart, Apollo and the Buffalo and Anna Anna Anna Oh!, You Go on Ahead (Trumpet Trumpet II)

myspace

crítica ao álbum

sábado, 4 de julho de 2009

Zé!

Agora que nos aproximamos das eleições autárquicas... Aqui têm uma bela música, relativa ao tema, extraída do mais recente trabalho de B Fachada, "Um fim-de-semana no pónei dourado". O vídeo é um bocado estranho. E parado.


sexta-feira, 3 de julho de 2009

quinta-feira, 2 de julho de 2009

José Gonzaléz cancelou...

... e o MANTA quis colmatar esta falha oferecendo um festival gratuito!
Sendo assim vai haver Bishop Allen e The Young Gods, dia 16 e 17 deste mês respectivamente, à borla nos jardins do Palácio Vila Flor, em Guimarães. É aproveitar.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Dirty Projectors

Este ano de 2009 tem sido recheado de óptimos álbuns. Dirty Projectors é uma das bandas que está a fazer furor por esse mundo fora com o seu mais recente trabalho, Bitte Orca. Este álbum ainda não me convenceu. Provavelmente aquele folk-rock experimental misturado com um Afro-pop necessite de maior atenção.
É já considerado um dos álbuns do ano a par de Merriweather Post Pavilion e Veckatimest, entre outros.
O primeiro single - "Stillness Is The Move" - mostra uma faceta R&B do álbum, e é talvez aquela música que consegue ficar logo à primeira no ouvido.

 
Barulho Esquisito © 2008. Powered by Blogger.