sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Do frio se faz calor

Agora que os dias se fazem frios, nada de melhor que umas melodias de conforto para enganar a ânsia da procura de agasalho - Long Way to Alaska são os requisitados nesta tarefa. Há qualquer coisa aqui de Kings of Convenience e José González, aquele som que muitos procuram mas poucos acertam; e são portugueses (Braga), para abrilhantar ainda mais as coisas. O álbum de estreia intitulado Eastriver está em streaming no respectivo myspace até dia 22 de Novembro. É aproveitar.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Pasmar ou não pasmar, eis a questão.

Voice/Piano/Keyboards: Bryan Ferry
Guitars: Oliver Thompson, Phil Manzanera, David Gilmour, Nile Rodgers, Jonny Greenwood
Bass: Marcus Miller
Drums: Andy Newmark, Tara Ferry, Emily Dolan Davies
Percussion: Frank Ricotti
Synthesisers: Brian Eno, Colin Good
Electronics: John Monkman
Oboe: Andrew Mackay
Cello: Anthony Pleeth
Violins: Perry Montague-Mason, Emlyn Singleton
Viola: Vicci Wardman
Chorus: Seweuse Abwa, Hannah Khemoh, Aleysha Gordon
Voice: Tallulah Harlech
Additional Engineering: Sven Taits, Ash Howes
A ficha técnica mostrada acima diz respeito ao elenco de músicos que participou em "Song to the Siren", uma versão de um original de Tim Buckley, e que está incluída no novo álbum de Bryan Ferry, editado no mês passado.  Esse novo álbum, intitulado "Olympia" e que ostenta na capa a figura de Kate Moss, tem uma equipa maravilha com nomes como Brian Eno, Jonny Greenwood, David Gilmour, Flea, e mais uns quantos. Para explorar e degustar.
 

domingo, 7 de novembro de 2010

O concerto do ano.

E é assim. Por vezes acontecem destas surpresas. A inglesa Scout Niblett não era tu-cá-tu-lá comigo, mas já tinha ouvido alguma coisa a espaços, pena que sem grande alarido. Nos dias de hoje, em que temos acesso a tudo e em que mil e uma bandas são criadas diariamente, corre-se no risco de deixar passar ao lado certas preciosidades.
No café concerto do CCVF de ontem, com lotação esgotada?, Niblett deu a conhecer um pouco das suas tempestades interiores. Tanto cantava  num tom suave, como de repente num desvario desatava a gritar. O baterista - Dan Wilson - descalço, ora batia na bateria como Afonso bateu na mãe (ou no amante, dependendo da versão), ora a mimava com festinhas. Todas essas variações aconteciam, não raras vezes, na mesma música. Tanto o publico como Niblett adoraram o concerto, tendo inclusive a cantora desabafado com um "too much fun". Faltou por tocar "Kiss", pois Niblett não gostou da ideia de ter toda a gente a pedir essa música. 
A quem ainda não teve a oportunidade de visitar este café concerto aconselho vivamente, pois apresenta uma relação qualidade/preço acima da média, numa sala com uma óptima acústica, e uma programação de fazer inveja a qualquer casa do género. Bem-hajam.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Calcinar todo o mal que vem de dentro

Gosto de cantautoras que cantam com a alma. Que exorcizam os seus males, como se até nós os ouvintes tivéssemos alguma quota parte de culpa no que se está a passar dentro da cantora. Que não têm receio em deitar tudo cá para fora, mesmo quando é algo muito pessoal. Como exemplo deste tipo de cantoras temos Pj Harvey, com uma garra de invejar, e a Cat Power (dos primeiros tempos), pela qual nutro um carinho especial há bastante tempo, e que, como ninguém, consegue exteriorizar o mal que lhe está a consumir. Um outro exemplo, e a propósito de um futuro concerto no sábado no CCVF (pela módica quantia de 4€), é Scout Niblett: um maná dos deuses para admiradores deste tipo de cantoras. Este ano lançou um novo álbum - The Calcination of Scout Niblett -, o quinto álbum de originais, que irá ser apresentado este sábado. O vídeo que se segue é para a música "Kiss", incluída no álbum This Fool Can Die Now (2007), que conta com a participação de Will Oldham, e que certamente irá fazer parte do alinhamento.

 
Barulho Esquisito © 2008. Powered by Blogger.